Concertos

João Robim - 30 de Junho // Centro Cultural de Amarante - 22h00

João Robim, natural de Braga, começou a tocar guitarra aos 10 anos.

Concluiu, em 2016, o Curso Secundário de Música no CCM – Centro de Cultura Musical, em Vila Nova de Famalicão/Santo Tirso, com a nota máxima, tendo estado sob a orientação do professor Fernando Monteiro.

Obteve, desde 2012, 21 primeiros prémios em concursos por todo o país, dos quais se destaca o Prémio Jovens Músicos em 2017.

Participou em vários festivais de guitarra em Portugal, quer em competição quer em recitais. Tocou no canal de televisão RTP e na Rádio Antena 2.

Ao longo do seu percurso como guitarrista frequentou cursos com Andrew York, Wolfgang Lendle, Johannes Möller, Amadeus Guitar Duo, SoloDuo, Pablo Marquez, Rafael Aguirre e Marcin Dylla, entre outros.

No presente, frequenta o 2º ano da licenciatura em Guitarra Clássica, na Universidade de Évora, na classe do professor Dejan Ivanovic.

Marco Tamayo - 1 de Julho // Centro Cultural de Amarante - 22h00

Marco Tamayo, o guitarrista cubano naturalizado austríaco, aclamado como “Rei da Guitarra” pelo jornal italiano L’Stampa em 1999, é vencedor de importantes concursos internacionais. Tocou com renomadas orquestras e maestros por todo o mundo e é, atualmente, figura proeminente na guitarra clássica. Marco Tamayo é professor na universidade Mozarteum University of Arts, em Salzburg, no Landeskonservatorium em Klagenfurt, Áustria, professor convidado na Academia de Música de Gdansk, na Polónia e foi professor na Universidade de Sydney na Austrália. O seu livro intitulado “Essencial principles for the performance on the classical guitar” (princípios essenciais para a performance em guitarra clássica) mudou a visão sobre o instrumento e o seu ensino a nível mundial.  Os seus alunos apreciam uma carreira internacional. Marco Tamayo é diretor artístico do Concurso Internacional de Guitarra Michelle Pittaluga em Alessandria, Itália. É também cidadão honorário das cidades de Solero e Alessandria, ambas em Itália. Tamayo toca com uma guitarra Simon Marty. É guitarrista representante Savarez e toca com cordas “Alliance-Blue-Cantiga Premium”. Marco Tamayo é presidente da editora Marco Tamayo Edition, criada em 2014.

Joaquim Simões - 6 de Julho // Igreja do Carmo (Porto) - 21h30

Joaquim Santos Simões nasceu em 1995, em Coimbra. Começou a estudar guitarra clássica aos 11 anos com o guitarrista e professor Ricardo Abreu, na Academia de Música de Espinho. Durante o seu percurso escolar recebeu várias bolsas de mérito tanto no ensino da música como no ensino regular, tais como, o Prémio de Mérito da Academia de Música de Espinho e da Junta de Freguesia de Espinho (2009), o Prémio de Mérito da AME e da Câmara Municipal de Espinho (2010) e o Prémio de Mérito da AME (2012). Em 2013 concluiu o ensino secundário, na área das ciências e tecnologias e foi admitido na Universidade Nova de Lisboa no curso de economia. Na sua candidatura ao ensino superior de música foi admitido na Universidade Robert Schumann, em Dusseldorf, Alemanha, onde decorre a sua licenciatura com o renomado e virtuoso guitarrista e professor Joaquín Clerch. No decurso dos seus estudos teve a oportunidade de participar em diversas masterclasses com prestigiados guitarristas e professores, como Dejan Ivanovic, Pedro Rodrigues, Paulo Vaz de Carvalho, Eduardo Fernandez, Rafael Aguirre, Carlo Marchione, Aniello Desiderio, Ricardo Gallen, Marco Tamayo, Judicael Perroy, Jeremy Jouve, Fabio Zanon, Franz Halasz, Hubert Kaeppel, Elena Papendreou, Margarita Escarpa, entre outros. Apresentou-se em algumas das mais importantes salas de concerto da Europa, nomeadamente no Auditório Manuel de Falla (Madrid), no Tonhalle Duesseldorf (Alemanha) com a Orquestra da Robert Schumann Hochschule, na Robert Schumann Saal (Duesseldorf) e no Palais Wittgenstein (Duesseldorf).

Joaquim Santos Simões participou em numerosos concursos nacionais e internacionais tendo ganho vários prémios, entre os quais, o 1º lugar na categoria IV, no 3º Concurso Luso-espanhol de Guitarra de Fafe (2009), Menção David Russell na Competição Prémios Honoríficos David Russell (2010), o 1º lugar na categoria V e Prémio Revelação, no Concurso Internacional Cidade do Fundão (2011), o 1º lugar na categoria V, no Concurso Internacional de Guitarra Cidade de Almada (2012), o 1º lugar na categoria A, no Concurso Interno da AME (2012), o 1º prémio no Concurso Internacional de Guitarra de Guimarães (2015), o 3º lugar no Festival Internacional de Guitarra Gredos San Diego, em Madrid (2017), o 1º lugar no Festival/ Concurso Internacional de Guitarra de Amarante (2017) e o 1º lugar no prestigiado Certamen Internacional de Guitarra Andrés Segovia, Espanha (2018). Para além do estudo da guitarra teve aulas de composição com o professor Nuno Peixoto de Pinho. Atualmente frequente as aulas do Prof. Dr. Hubertus Dreyer. Obteve prémios na área da composição, tais como o 1º lugar na 3º edição do “Prémio de Composição Século XXI – Gustav Mahler”, a Menção Honrosa na categoria de Música de Câmara, com a peça “Sobre um tema de Cantus” para trio de guitarras, o 1º lugar, na 4ª edição “Prémio de Composição Século XXI – Bernardo Sassetti e Emmanuel Nunes” com a peça – “Transfigurações Nocturnas” para guitarra solo e Menção Honrosa para Música de Câmara com a peça – “Elegia” para violoncelo e guitarra.

Pedro Rodrigues - 7 de Julho // Centro Cultural de Amarante - 22h00

Vencedor do Artist’s International Auditions (Nova Iorque), Concorso Sor (Roma), Prémio Jovens Músicos e premiado nos concursos de Salieri-Zinetti, Paris, Montélimar, Valencia, Sernancelhe entre outros, Pedro Rodrigues iniciou o seu percurso musical aos 5 anos de idade, tendo estudado com José Mesquita Lopes na Escola de Música do Orfeão de Leiria onde terminou os estudos com a classificação máxima como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Participou em masterclasses com David Russell, Leo Brouwer, Joaquin Clerch e Darko Petrinjiak. Posteriormente estuda com Alberto Ponce na École Normale de Musique de Paris onde recebe os Diplomas Superiores de Concertista em Música de Câmara e Guitarra, este último com a classificação máxima, unanimidade e felicitações do júri. Sob a orientação de Paulo Vaz de Carvalho e Alberto Ponce concluiu em 2011 o Doutoramento na Universidade de Aveiro como bolseiro da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Apresentou-se a solo em salas reconhecidas internacionalmente como o Carnegie Hall de Nova Iorque, a Salle Cortot de Paris, National Concert Hall de Taipei, Ateneo de Madrid, Sala Manuel de Falla de Madrid, Endler Hall de Cape Town, India International Centre de New Delhi, Sala Raúl Juliá de San Juan, Centro Cultural de Belém, Casa da Música, o Grande Auditório da Fundação Gulbenkian e os festivais de Mikulov, Paris, Santo Tirso, Música Viva, Sernancelhe, Caruso Festival, Miguel Llobet, Forfest Kromeriz, Vital Medeiros entre outros. Estreou mais de 60 obras dos mais importantes compositores portugueses como João Pedro Oliveira, Cândido Lima, Isabel Soveral, Sérgio Azevedo, Sara Carvalho, António Sousa Dias, Carlos Caires entre outros. Muitas destas obras foram-lhe dedicadas. Fez gravações para RTP, RDP, RTM, SABC, Cesky Rozhlas, WIPR e gravou discos com as editoras Numérica, Nuova Venezia, Portugaler, Slovartmusic e JNS Music e foi solista com a Orquestra Gulbenkian, Filarmonia das Beiras, Orquestra do Algarve, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras entre outras. Colaborou com a Orchestrutópica, Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, Grupo Música Nova e Miso Music Portugal. É igualmente convidado com regularidade para leccionar masterclasses em conservatórios e universidades na Europa, América do Norte e Sul, África e Ásia. As suas transcrições e edições estão editadas pela Mel Bay Publications, AVA Editions e Notação XXI. Como investigador, proferiu conferências em Inglaterra, Brasil e Portugal dedicadas às temáticas da transcrição e da música contemporânea. Enquanto divulgador, criou com João Paulo Henriques a Revista Guitarra Clássica e, mais recente criou e apresentou o programa “Seis Cordas Para Um País” transmitido na Antena 2. Foi professor na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa, Escola de Música do Porto e presentemente é Professor Auxiliar no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro.

Gabriel Bianco - 8 de Julho // Centro Cultural de Amarante - 21h30

Reconhecido como um dos melhores guitarristas clássicos da atualidade, Gabriel Bianco ganhou o primeiro prémio em alguns dos mais prestigiados concursos internacionais, dos quais se destacam o Concurso Internacional de Guitarra GFA (São Francisco, EUA, 2008) e o Concurso Internacional de Guitarra, “Hubert Kappel”, de Koblenz (Alemanha, 2007). Em 2011 foi nomeado “Revelação Clássica“ pela ADAMI (Sociedade civil de administração dos direitos dos intérpretes e músicos Franceses). Gabriel atuou em mais de quarenta países e em muitos dos mais renomados festivais e salas de espetáculos. Foi artista convidado no Festival Pablo Casals, em Prades, França, no Teatro Chatelet, em França, no Festival Internacional de Música e Dança de Granada, Espanha, na Sala de Espetáculos Tchaikovsky, em Moscovo, Rússia, na Sala de Espetáculos Philharmonie em Kiev, Ucrânia, na biblioteca Luis Angel Arango, em Bogotá, Colômbia, no Festival Cervantino em Guanajuato, México, no Conservatório de Música de Pequim, China, no Centro de Artes Musahino, em Tóquio, Japão e no Teatro Herbst em São Francisco, EUA. Como solista, Gabriel interpreta desde música barroca a música contemporânea, com especial ênfase na música do período romântico e música de Espanha. Muitos compositores fizeram novas obras para ele. Como solista com orquestra, Gabriel atuou com a Orquestra da Cidade de Koblenz (Alemanha), a Orquestra Aukso (Polónia), a Orquestra Filarmónica Lipetsk (Rússia) e com a Orquestra Nacional de Rádio Romena. A opinião do público, dos seus pares e dos críticos é unânime. Em palco, Gabriel e a sua guitarra tornam-se um só. Reconhecem que a elegância e o colorido da sua performance exala uma abordagem única a todo o repertório por ele explorado. Um apaixonado da música de câmara, Gabriel é membro fundador do quarteto Eclisses Guitar, formado em 2012. O quarteto ganhou o Concurso de Música de Câmara da Federação Nacional de Associações de Pais dos Alunos dos Conservatórios em 2013 e tornou-se um laureado da Fundação Banque Populaire. O quarteto lançou três álbuns: Guitares, 2013, Invitation Française, 2015 e Pulse, 2017. Gabriel colabora frequentemente com outros instrumentistas e cantores e lançou o CD Divertissement com a oboísta Michaela Hrabankova, em 2017. Gabriel gravou dois álbuns a solo. Laureate Guitar Series foi gravado sob a alçada da editora Naxos em 2007 e o seu último trabalho a solo Capricci, foi lançado em 2015 pela editora Ad Vitam Records. Nascido numa família de músicos, Gabriel Bianco começou a tocar guitarra aos 5 anos. Aos 16 ingressou no Conservatório Nacional de Música e Dança de Paris onde se graduou com elevada distinção em guitarra e música de câmara. Gabriel Bianco é representante das cordas Savarez.